quinta-feira, 12 de abril de 2012

Juan José Becerra e Toda a Verdade


Toda la Verdad
Juan José Becerra
Seix Barral
130 p. 2010

Há autores de países próximos que, por razões misteriosas, não são traduzidos e editados no Brasil. Cada um de nós tem uma lista deles; latinoamericanos, portugueses...

Becerra (1965) já andou pelo blog com seu conto A Vida de uma Bala. Neste romance, Antonio Miranda é um engenheiro de sucesso que, subitamente, sem uma razão bem definida, deixa tudo para trás - família, carreira, o apartamento na Avenida del Libertador, o escritório no Puerto Madero, relações sociais - e se dirige aos pampas. Para dizer a verdade é preciso vivê-las - é o seu mantra. Lá trava contato direto com a natureza, sem nenhum intermediário "civilizado". 

Depois, de forma tão abrupta como foi ao pampa, volta a Buenos Aires; encontra Margarita Russo, sua antiga amante, agora casada. Em cinco minutos contou-lhe sua história de vida - "mais um tratado silvestre", que tanto a impressiona que ela acaba abandonando seu marido.

Sua história acaba chegando aos ouvidos de um editor e, em pouco tempo, Antonio Miranda é autor do maior sucesso editorial argentino de todos os tempos com o livro La verdad de tu vida. Na verdade, escrito por um ghost writer - Miranda tem dificuldade em colocar suas ideias no papel. De qualquer forma, torna-se um guru do novo milênio.

A partir daí, Becerra ataca todo o meio editorial e suas manias: conferências, a criação de uma estrela, leitores ávidos por ouvir Miranda, ainda que não entendam nada do que ele diga (De modo que lo aplaudieron. Para aplaudir, el público debía sentir que estaba siendo vencido por una inteligencia superior. No entender era sentir el peso de esa superioridad). Ele sai em caravana de lançamento: Buenos Aires, Madrid, São Paulo; é publicado pela Penguin Books; seus pensamentos são repetidos por todos - mesmo aqueles que ele jamais havia pensado. 

Becerra chama a literatura de auto-ajuda de "livros placebo" e, aqui, apresenta um retrato bastante cáustico da indústria editorial e dos seus processos de marketing, lançamentos e construções de autores. Até o maior astro do rock mundial recomendou o livro de Miranda em um programa de TV, o que o colocou no primeiro lugar em vendas na Barnes and Nobles.

E, na mesma velocidade em que Miranda se torna um astro, ele se torna também obsoleto... momento para uma nova fuga, para os mesmos pampas - Miranda integra não um triângulo, mas um quadrado (!) amoroso...

Um livro a ser traduzido e lançado por aqui.





Nenhum comentário:

Postar um comentário