segunda-feira, 9 de abril de 2012

Buenos Aires

Dia 5 a Biblioteca comemorou um ano de existência, em Buenos Aires. E em grande estilo: visitamos o Templo - El Ateneo Grand Splendid, na Avenida Santa Fe com Callao. Eu já conhecia a sede, na Florida, agora ofuscada por este portento que está em todas as listas das livrarias mais bonitas do mundo.


Às sete e meia da noite, estava lotada, como todas as demais livrarias menores e as ruas. É algo que perdemos para sempre por estas paragens: optamos pelo modelo dos shoppings centers que esvaziam o comércio de rua - e a cidade como um todo, que se torna bem mais insegura. No final das contas, não admiramos cidades como Buenos Aires, Paris, Londres ou Nova York apenas pelas suas atrações especiais, mas sim pelo "kit básico": poder andar pelas ruas, praças e parques com prazer e tranquilidade, a qualquer hora do dia - dentro de um mínimo de bom senso, é claro - jantar em um restaurante de rua a dez quarteirões de distância e voltar caminhando com outras centenas de pessoas às dez horas da noite.

No Templo, os Escolhidos:

Toda la verdad, Juan José Becerra, Seix Barral
Bahia Blanca, Martin Kohan, Anagrama
Un Hombre Llamado Lobo, Oliverio Coelho, Duomo
El otro lado, Jorge Consiglio, Edhasa

E a edição de abril da revista Los Inrockuptibles, que é um achado. Talvez o mais próximo que tenhamos aqui seja a Bravo dos velhos tempos. A maior parte do pessoal acima escreve ou, em algum momento, escreveu para ela.


Ficamos na Recoleta, no Hotel Chateau Blend, na José León Pagano, perto da calle Austria e da Biblioteca Nacional (um monstrengo que foi concluído em 1993; Borges trabalhou na antiga sede, na calle Mexico, e foi ele quem iniciou os projetos para a mudança).

Um comentário:

  1. Christianne Bensoussan9 de abril de 2012 22:02

    Viagem incrível, hotel maravilhoso, Ateneo mais bonita e interessante impossível!! Adoramos tudo!!

    ResponderExcluir