domingo, 22 de maio de 2016

Vive la France

Ao contrário do que se diz e escreve, a literatura francesa não está decadente. Trata-se de uma falsa impressão causada pela globalização editorial. É o que diz Alberto Manguel, em artigo no Babelia de ontem, dia 21.

Se antes se lia Camus, Sagan e Céline, agora temos Carrère, Echenoz e - horresco referens, nas palavras do autor, Houellebecq.

Qual sua opinião?

Nenhum comentário:

Postar um comentário