quinta-feira, 28 de março de 2013

O Professor Nabokov

No New York Review of Books, um artigo interessantíssimo. Um professor de literatura que deixa claro, no primeiro dia do curso Literatura europeia no século XIX, que não tem o menor interesse em socializar ou confraternizar com seus alunos - que, aliás, sequer se daria ao trabalho de saber seus nomes - chamava-os pelos seus números.

Quem nos conta essa história, real, é o aluno 121. A única regra do professor: ninguém poderia sair da sala, nem mesmo para ir ao banheiro, sem um atestado médico.

Seu lema: romances são pura invenção, e o romancista tem como único propósito encantar o autor. Assim, prosseguia, ninguém precisa saber nada de nenhum "contexto histórico" do texto... E o foco era Tolstoi, Gogol, Proust, Joyce, Austen, Kafka, Flaubert e Robert Louis Stevenson.


O professor, claro, era Nabokov.

Nenhum comentário:

Postar um comentário