quinta-feira, 7 de março de 2013

Grandes leitores - Capitão Nemo



- Parabéns, capitão. Deve haver aqui no mínimo seis mil volumes.

- O senhor está enganado, professor. Existem doze mil. O mundo acabou para mim no dia em que submergi com o Nautilus! Nesse dia comprei os últimos livros e as últimas revistas. Não é preciso dizer que tudo está à sua disposição.

Aproximei-me das estantes, depois de haver agradecido com um gesto a cortesia do capitão. Na biblioteca havia muitos livros científicos, de moral e de literatura, escritos em todos os idiomas.

Constavam na biblioteca tudo o que o homem produziu de mais belo em matéria de história, poesia, romance e ciência, de Homero a Victor Hugo, de Xenofonte a Michelet, de Rabelais a Madame Sand.

Alberto Manguel, sobre a biblioteca de Nemo: em primeiro lugar, não há livros de economia política, posto que nenhuma teoria nesse campo satisfaz seu exigente leitor; em segundo lugar, a classificação dos livros é arbitrária, misturando temas e idiomas sem nenhuma ordem lógica, como se o Capitão lesse aquilo que sua mão encontra por obra do acaso; em terceiro lugar, não há livros novos nas estantes. Esses 12 mil livros "são os únicos vínculos que me unem à terra", confessa o Capitão. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário