quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

A falsa amante, de Balzac

As famílias ricas vivem atualmente entre o perigo de arruinar os filhos se os têm em grande número, e o de se extinguirem se se limitarem a um ou dois - singular resultado do Código Civil, que Napoleão não previu.

Balzac era conservador; hoje seria chamado de reacionário. No caso - o Código Napoleão acabou com os privilégios da primogenitura, resquício medieval capaz de preservar o poder e a riqueza da aristocracia. Não é a primeira vez que vemos sua repulsa ao novo regime de forma tão clara.

Oeuvres illustrées de Balzac. Ursule Mirouët. La Fausse maîtresse. Les Célibataires : Pierrette, Le Curé de Tours, Un ménage de garçon. L'Illustre Gaudissart. La Muse du département. La Paix du ménage. Une passion dans le désert. Physiologie du mariage. Autre étude de femme


Clementina du Rouvre é casada com o rico imigrante polonês Adam Mitgislas Laginski, que além de rico é incrivelmente feio - há duas espécies de poloneses, como há duas espécies de ingleses. Quando uma inglesa não é muito bela, é horrivelmente feia, e o conde Adão pertence à segunda categoria. 

Tadeu Paz é o amigo também polonês de Adam, a quem deve favores e evita qualquer envolvimento com a assanhada Clementina. A ponto de inventar uma "amante", uma atriz de circo, Málaga (mania de colocar Espanha ou Itália como ambientes selvagens). Passa a financiar Málaga para dar credibilidade ao seu intento. Clementina se sente extremamente ofendida por ser desprezada em detrimento a um ser tão, digamos, inferior - ser este que, por outro lado, não entende exatamente o que está acontecendo, uma vez que Tadeu não tem, de fato, nenhum interesse nela.

Tadeu escreve para Clementina dizendo partir para a Rússia, e lhe revela toda a verdade - ele sempre esteve de olho na mulher do amigo. Clementina descobre então que toda a história da amante era falsa - e nós ficamos sabendo que Tadeu sempre esteve em Paris - Condessa, ir ao Cáucaso para me fazer matar e levar comigo seu desprezo, é demasiado - escreve-lhe na carta.

Paulo Rónai fala, na introdução ao conto, que a figura de Tadeu se baseou no conde Tadeu Wylezynski, primo de Eveline Hanska e que, por não poder se casar com ela, "tê-la-ia adorado à distância silenciosamente, não só depois de casada, como também após o começo do idílio com Balzac". Mas como personagem, Tadeu é por demais virtuoso para um leitor do século XXI...



Nenhum comentário:

Postar um comentário