segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Nobel 2017: apostas

Já virou tradição da Biblioteca trazer a lista com os favoritos ao Nobel de Literatura, de acordo com a casa de apostas Ladbrokes:

Vamos aos 10 primeiros:

1. Ngugi Wa Thiong'o, queniano.

2. Haruji Murakami (sempre, sempre ele)


3. Margaret Atwood - canadense. Nunca li, mas é muito bem conceituada pela crítica e pelo público. Manguel adora. Seu romance mais conhecido, O conto da aia, que está na minha fila de espera, virou série de sucesso na televisão. Momento político pode ajudar.

4. Amos Oz. Israelense que costuma irritar esquerda (à qual pertence) e direita.

5. Claudio Magris. Italiano, de Trieste (escreve em italiano e fala o dialeto local). Escreve ficção, mas li Danúbio, ensaio que por si só já o coloca como merecedor do Nobel.

6. Javier María, espanhol de quem nada li.

7. Adonis, poeta sírio. Muito bom, e pode ser ajudado pela geopolítica.

8. Don deLillo, americano. Nunca li nada dele.

9. Yan Lianke, chinês não muito querido pelo regime, o que o coloca, por definição, com chances (não faço a mais vaga ideia se merecido ou não).

10. Ko Un, sul-coreano que virou budista e defende a reunificação do país. Idem...

E mais: Jon Fosse (norueguês), António Lobo Antunes (o Fla - ou flu - do fla-flu com Saramago), Cesar Aira, Ismail Kadare (albanês que já devia ter recebido o prêmio), Laszlo Krasznahorkai (húngaro conceituadíssimo na Europa) e A.B. Yeoshua (israelense).

Philip Roth aparece mais abaixo mas, fazer o quê... um norte-americano não deve ganhar nos próximos dez anos...

Provavelmente o vencedor está mencionado neste post.

Um comentário:

  1. Meu amigo,
    As previsões do blog continuam certeiras como o Muralha na escolha do canto, na disputa de pênaltis.
    O bom é que o conteúdo continua ótimo.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir